Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para busca 3 Ir para rodapé 4 Acessibilidade 5 Alto contraste 6

---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?


ENGLISH NOWADAYS - O PROJETO QUE DEU CERTO!

Publicado em 18/12/2020 às 13:58 - Atualizado em 18/12/2020 às 14:00


Créditos: Divulgação Baixar Imagem

O ano de 2020 não veio somente para testar nossa rebeldia, tampouco apenas nos fazer mais fortes. Ele veio também para fazer com que olhássemos mais à nossa volta e pudéssemos valorizar e até mesmo refletir sobre o nosso futuro que esteve no centro das atenções, seja para a possibilidade de vivermos, seja pela impossibilidade de chegar até ele.

Na Escola Municipal de Educação Básica Paulo Fuckner, da localidade de Bateias de Cima, foi assim este ano, cheio de empoderamento e sonhos!

No mês de junho, a professora Sonia Bernado, graduada e pós-graduada em Letras, atuando como professora de inglês da Rede Municipal, juntamente com a escritora, professora de língua portuguesa para estrangeiros e de língua francesa Cristiane Bonezzi e com seu esposo e empresário Lucas Puttini, organizaram o projeto “English Nowadays”, um título um tanto reflexivo, mas que combinou com a situação. O projeto nasceu de uma conversa entre a professora Sonia e a professora Cristiane sobre a importância de falar uma língua estrangeira para o mercado de trabalho. A proposta consistiu em diversos vídeos sobre o tema, que foram inseridos no programa “Viagens” que estava sendo abordado com o 7º ano, para que os alunos se pusessem a refletir sobre a importância de aprender uma segunda língua, além da língua portuguesa. A atividade foi tão bem-sucedida que a professora Sonia decidiu trabalhar os vídeos com os alunos dos 9º anos da escola também, com a diferença de que estes trabalhariam a importância do inglês para seus currículos, vida pessoal e profissional.

 

QUEM SÃO CRISTIANE BONEZZI E LUCAS PUTTINI?

Cristiane nasceu em Joinville, mudou-se para Brasília para estudar Relações Internacionais, e fez um intercâmbio de estágio na Alemanha durante o curso. Ela conta que foi um período de muito crescimento e recomenda àqueles que querem sair da zona de conforto e mergulhar no idioma, haja vista que quando se faz um intercâmbio, o estudante coloca em prática a língua estrangeira na comunicação de rotina, aprofundando o aprendizado e a fluência no idioma.

A professora também contou que trabalhava com projetos internacionais, precisando assim ler e escrever em inglês, e isso a fez se sobressair na empresa, viajando para muitos países representando a empresa em eventos, reuniões e conferências internacionais.

Cristiane morou durante seis anos no Quebec (província do Canadá), com seu esposo Lucas, e relata que se comunicava mais em francês porque os moradores utilizavam mais o francês do que o inglês.

Já Lucas Puttini, engenheiro e empresário que nasceu em Brasília, fez especialização na área de engenharia e morou no Quebec. Lucas trabalhou como engenheiro aeronáutico, na Embraer, em São José dos Campos, onde conheceu sua esposa Cristiane. Há alguns anos ele recebeu um convite para atuar na indústria aeronáutica no Canadá, onde ele pode comprovar que saber falar inglês facilitou a sua vida profissional. Lucas fez um depoimento que provocou a reflexão nos alunos sobre a importância de falar uma língua estrangeira, especialmente o inglês, que é uma das mais faladas no mundo e tem relevante importância no currículo de toda pessoa, independentemente da profissão que deseje seguir e investir. Ele ressaltou a importância de estar sempre em contato com a língua, já que ele tem este contato desde criança e tinha a certeza de que utilizaria o inglês no mercado de trabalho do qual um dia viria a fazer parte.

O empresário, que trabalha na área da marcenaria, valoriza seu aprendizado em inglês, pois muitas de suas ferramentas são de fora do país e com instruções em inglês, e muitos artigos de pesquisa e material de estudo e consulta também estão em inglês. Um parecer de Lucas que chamou atenção foi de que o jovem de hoje não deve mais pensar que finalizando o ensino médio não precisa mais estudar ou buscar por um curso de línguas, pelo contrário, “Trabalho e aprendizado não podem parar!”, disse Lucas.

Cristiane e Lucas são donos da empresa Marcenaria do Bosque, localizada na localidade de Bateias de Baixo, onde estão criando uma escola de marcenaria e produzem móveis de decoração em madeira maciça. Eles moram desde 2019 em Campo Alegre.

 

O PROJETO

Cristiane se valeu de contatos profissionais e de sua vivência no exterior para convidar amigos que moram fora do país a enviarem vídeos contando como foi a experiência com um idioma estrangeiro, tanto brasileiros que usam o inglês na rotina de trabalho, como estrangeiros que falam português também.

Os alunos foram divididos em grupos: um deles era atendido pelo whatsapp através de um grupo fechado de Língua Inglesa, ao qual apenas alunos, pais, professora e coordenadora tinham acesso. Ali também eram postadas as aulas semanais de inglês da grade curricular. O outro grupo era atendido através de material impresso e entregue nas casas. Para esses alunos a escola disponibilizou tablets para que eles participassem ativamente do projeto. Dessa maneira todos puderam conhecer a história de vida dos empresários e puderam colocar suas opiniões através da análise dos depoimentos, introspecção e de manifestação escrita.

A professora Sonia Bernado compartilhou textos sobre a importância da língua inglesa, dicas de cursos, blogs e sites de leitura para instigar os alunos pela busca do idioma além das aulas semanais, haja vista que nem todos os alunos demonstraram interesse pelo tema (mesmo que estejam estudando inglês desde o 1º ano das séries iniciais). Pôde-se chegar a este ponto de análise porque foi feita uma pesquisa anterior ao início do projeto, o que tornou o resultado final interessante após sua aplicação.

Os alunos do grupo de whatsapp puderam conhecer algumas histórias de vida além da história da Cristiane e do Lucas, como as descritas abaixo.

Eles conheceram o Fábio, que é colombiano e hoje mora em Estocolmo, capital da Suécia, e que já morou no Brasil durante dois anos enquanto fazia mestrado na USP. Ele contou que aperfeiçoou seu inglês indo morar no Canadá, e praticando com os amigos. Ele fala quatro idiomas e é grato pelas experiências que teve através da língua inglesa e outros idiomas que fala. Lembra no seu vídeo que quando era estudante, não era o melhor aluno da turma no estudo de língua estrangeira, mas foi pelas oportunidades de trabalho e de vivência que ele conseguiu ver as portas que se abriram a partir disso.

Os alunos conheceram Ana Tereza Castro que é professora de português em uma escola bilíngue no Brasil, porém se encontra no Canadá fazendo uma pós-graduação. A professora Ana Tereza é apaixonada pela língua inglesa, relata e crê que o inglês é uma ferramenta de sobrevivência para aquele que busca ter um diferencial no currículo e na vida rotineira, inclusive para usufruir de livros, filmes, músicas e amizades onde o inglês está em foco.

A brasileira Lya, que mora em Montreal, no Canadá, fez um vídeo ressaltando a importância de falar inglês para ter acesso a mais oportunidades, comentou sobre sua experiência no Canadá, as atividades culturais e econômicas, políticas de apoio aos habitantes e a possibilidade de conhecer pessoas do mundo inteiro. Ela e o marido trabalham com agricultura urbana em Montreal. Ela mora na área central da cidade, é colaboradora em uma horta comunitária e mostrou a horta que mantém na sacada do seu apartamento. Relatou que foi morar no país a trabalho, tem gostado da experiência e diz que o povo canadense é muito acolhedor.

Aline Romaniv falou que, apesar da experiência não muito boa com a língua inglesa em seu primeiro contato, aos quinze anos já estava formada e lecionava inglês e espanhol em uma escola de idiomas. Hoje ela vê no inglês uma segurança ao viajar e uma vantagem no currículo. Aline é formada em marketing e é proprietária do Café Bello Cacau, em São Bento do Sul, cuja decoração foi feita com temas do universo da língua inglesa. Ela fala cinco línguas e conhece vários países. Para ela, o inglês e as outras línguas estrangeiras oferecem novos horizontes e novas possibilidades através do vocabulário e um universo rico de pesquisa.

O professor e escritor Adriel Amaral, que hoje mora em Brasília falou sobre a experiência de ter conhecido o mundo inteiro através da língua inglesa. Ele contou que morava em Minas Gerais, estudava em escola pública e nem por isso desistiu do seu sonho. A falta de recursos não o impediu de aprender inglês e conseguir outras oportunidades de estudo e trabalho. Com onze anos ele começou a estudar inglês e aos dezessete ganhou uma bolsa para estudar nos Estados Unidos. Aos 22 anos, ganhou uma bolsa de estudos e foi estudar na Inglaterra, através do inglês ele relata ter conhecido e vivenciado coisas incríveis. O professor Adriel tem mestrado na Uni Bristol, Inglaterra.

A tradutora e guia turística Galina, mora em São Petersburgo, na Rússia. Ela fala inglês e português fluentemente. A experiência com o português se deu quando ela morou no Brasil. Para destacar o valor de aprender inglês, ela relatou a grandeza e a magnífica experiência de ler um livro no idioma original, citando o livro Games of Thrones de George R.R. Martin em russo, e diz que por mais que queira, para ela o brilhantismo está na obra original e ler em inglês grandes obras faz com que isso seja sentido nitidamente.

Rodrigo Laro que é sócio de uma empresa de consultoria de Gestão de Projetos Sociais e Políticas Públicas e consultor do Instituto Pró Mundo, que promove a ideia de que os homens podem ser homens melhores, relatou que gosta do que faz e contou um pouco da experiência com a língua inglesa. Destacou que embora sua experiência não tenha sido muito boa, hoje ele fala e ainda estuda inglês, e reconhece a necessidade e a importância de falar inglês em qualquer profissão e área. Ele conta que o inglês está no seu dia-a-dia, no seu trabalho. Ele considera que a internet é um bom começo para estudar inglês hoje, e que na época em que ele estudava acabou não tendo muitas oportunidades a não ser pagar por aulas particulares.

Uma participação muito especial foi feita pelo campo-alegrense Luiz Eduardo Fuckner, de 21 anos, estudante de Fisioterapia na Unisociesc, ele deu várias dicas sobre como estudar inglês e sobre sonhos, pois ele tem planos de estudar na Flórida e já vem se preparando para alcançar os objetivos. Frisou a busca em melhorar a cada dia, cercar-se de pessoas positivas e apoiadoras, citou a importância de o ser humano ser positivo e lutador não deixando que as pessoas negativas interfiram nos planos. E justamente planejar, quem não planeja e não busca pela mudança ficará estagnado e não alcançará sucesso.

Quem também enviou uma mensagem muito carinhosa aos alunos foi a modelo Ana Claudia Michels. Ela nasceu em Joinville e começou a trabalhar como modelo aos 14 anos, depois de um desfile de um curso para andar de salto alto, no shopping Mueller de Joinville. Ela conta no seu depoimento que quando foi descoberta acabou por não terminar os estudos na época e quando se deu conta que iria morar fora do país se viu assustada por não saber quase nada em inglês, porém fez as malas e foi morar em Nova Iorque. Ela fez e ainda faz sucesso nas passarelas e viajou pelo mundo. Trabalhou com a modelo Gisele Bündchen, e é super reconhecida. O que é interessante é que ela queria mesmo era ser médica, desde criança. Há alguns anos, ela decidiu voltar a estudar, prestou vestibular, passou e hoje trabalha como médica. Ana fala feliz da experiência que teve com a língua inglesa porque foi determinante para o seu trabalho e incentiva os alunos a encararem o medo e perseguirem seus sonhos. Um comercial com a história de Ana para uma marca famosa está sendo veiculada na televisão justamente falando sobre a importância de buscar realizar os sonhos. Todos somos capazes!

 

RESULTADOS

Os alunos envolvidos escreveram relatos em inglês e português e gravaram vídeos sobre a experiência. A maioria analisou a situação e citou o desejo de se aprofundar na língua inglesa. Embora alguns tenham dito que a língua não é tão importante assim, 99% dos alunos envolvidos viram como uma experiência muito boa o projeto realizado e fazem planos para o futuro. Desse modo, o projeto pode ser considerado um sucesso, haja vista que os alunos fazem planos de se esforçar mais nas aulas de inglês, buscar por cursos na internet e aplicativos de língua inglesa.

Para o aluno Tiago Padilha, do 9º ano 1, o projeto foi instigante, em seu relato ele conta que “Já gostava da língua inglesa e sempre viu as oportunidades aumentadas por saber falar inglês, além de já ter escolhido uma profissão da qual o inglês terá um importante papel. E já faz planos de melhorar o idioma por meio de cursos complementares.”

A aluna Luzia dos Santos, do 7º ano, conta em seu relato de vídeo que “quer falar inglês fluentemente e já faz planos de viajar para a Inglaterra.”

A professora Sonia Bernado esclarece que “O sucesso do trabalho desenvolvido só ocorreu devido ao envolvimento e apoio da professora Cristiane Bonezzi, Lucas Puttini, da coordenadora pedagógica Suelen Milczevski, dos participantes e seus relatos em vídeo e dos alunos envolvidos, os quais foram tão dedicados. E ressalta que a língua inglesa ou qualquer outra língua estrangeira precisa ser vista de maneira mais afetiva, pois ela pode ser a chave para uma vida profissional e pessoal muito mais serena! ” A professora Sonia sente gratidão por todo apoio!

 

Texto: Divulgação Professora Sonia.

 

 

 


Galeria de Fotos

  • {{galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
  • {{galeriaMultimidia.length + galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
Fechar